A ACÚSTICA DE ESTAÇÕES DE PASSAGEIROS

Estação ComboioQuantas vezes, cada um de nós se encontrou já em estações onde chegam comboios e de onde partem… De onde virão, para onde vão? Para cada um, aquela estação foi um ponto de chegada e será de partida – entretanto estaremos lá, instantes suspensos no tempo, instantes de vida que, à nossa volta se agita, animada por ruídos estranhos, que contribuem para criar a bolha envolvente onde nos situamos, a aguardar… A aguardar que, do meio daqueles ruídos venha a mensagem que nos permita embarcar, na esperança, talvez, de que seja para uma Estação de luz!

De facto, uma das questões importantes que se coloca no funcionamento de uma estação de qualquer sistema de transporte é o da inteligibilidade das mensagens transmitidas pelos sistemas de difusão sonora. Esta necessidade de perceção adequada de mensagens tem implicações óbvias na fruição do espaço por parte dos utentes, sendo também evidente a relação com as condições de segurança de utilização, na medida em que algumas mensagens poderão conter instruções relativas à segurança dos utentes.

Os custos sociais do ruído de tráfego rodoviário e ferroviário na U.E. foram estimados recentemente em 0,35% do PIB da União. Segundo o livro branco sobre o transporte público publicado em 2011 pela Comissão Europeia, o aumento de tráfego estimado até 2050 poderá determinar um acréscimo de 50% naquele valor, caso não sejam tomadas medidas especificas de intervenção.

A assunção de políticas comuns implica a existência de dados comparáveis, razão pela qual o Centro de Pesquisa Comum da Comissão Europeia elaborou métodos novos de medição (CNOSSOS-EU), aplicados não apenas ao ruído tráfego mas, também, ao ruído industrial, esperando-se que os Estados membros comecem a aplicar tais métodos, em termos de, em 2017, ser possível estabelecer-se uma cartografia estratégica comum para o ruído, na Europa.

E de que dependerá a inteligibilidade das mensagens? São variados os fatores que poderão determinar a inteligibilidade, mas, como de maior relevância, aponta-se:

– Reverberação do espaço;
– Intensidade das emissões sonoras por parte dos transdutores do sistema de difusão sonora, comparada com a intensidade do ruído residual.

De facto, se a reverberação for demasiada, isto implicará permanência temporal alargada dos diversos fonemas, logo “interações” entre eles e perda de inteligibilidade. Quanto à intensidade das emissões sonoras é óbvio que terão de ser maiores que a intensidade do ruído residual, mas sem que sejam atingidos valores que possam causar incomodidade, o que significa a necessidade de reduzir a intensidade do ruído residual, que vai implicar, entre outras coisas, também a necessidade de reduzir a reverberação.

Não se conclua, porém e apressadamente, que tudo se resolverá, então, com reverberação muito baixa porque, assim, o espaço ficaria muito “seco” em termos acústicos, logo menos agradável para a utilização…

Há muitos fatores a ponderar, o que significa a necessidade de analisar sistemicamente a situação, isto é, realizar o projeto de condicionamento acústico correspondente, que significará uma “realização a priori” da obra, logo a possibilidade de serem analisadas e harmonizadas as diversas influências significativas.

Na apreciação prospectiva em projeto, a qualidade da inteligibilidade é apreciada mediante os valores assumidos por indicadores específicos, como por exemplo o RaSTI (Rapid Speech Transmission Index) ou, “mais modernamente”, o STIPA (Speech Transmission Index for Public Address).

E, por fim, conjugando bom projeto de condicionamento acústico e execução cuidada da obra, aí estará uma estação que, pelo seu desempenho, ajudará a minorar a expetativa da partida. Quanto a embarcar para uma Estação de luz, isso é outra conversa, no fundo, uma opção que vai depender essencialmente de cada um e que se irá construindo ao longo do viver.

 

Tagged , , . Bookmark the permalink.

About Carla Alves

Carla Alves, Licenciada em Engenharia Civil pela Universidade da Beira Interior. Engenheira Civil Efectiva da Ordem dos Engenheiros. Faço projectos de especialidade de Engenharia Civil com freelancer e estou à procura de um emprego em Engenharia Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *