DIGA LÁ, DIGA LÁ COMO É …

AQUISIÇÃO DE NOVAS CAPACIDADES

O domínio de capacidades novas, por exemplo tocar um instrumento, evidenciou implicar uma parte do cérebro designada por Neoestriado (ou striatum), não sendo, todavia ainda conhecidos os mecanismos e circuitos envolvidos na aquisição e domínio de novas capacidades ou habilidades. O projeto Europeu designado por NEUROACTION tem, justamente, por objetivo o esclarecimento destas matérias, nomeadamente os papéis das duas vias de transmissão (direta e indireta) de sinais através do striatum.
À questão, talvez aparentemente “óbvia”, de qual o interesse disto tudo, aponta-se que a coordenação do Estudo Europeu referido é da Fundação Calouste Gulbenkian, uma fundação “nossa”, logo um arauto mais das capacidades portuguesas.

TRATAMENTO DE PERDAS DE VISÃO

Porque referimos um projeto europeu de investigação cuja liderança está ligada a Portugal, aqui fica outro, este coordenado pela Universidade do Algarve.
Trata-se de Estudo (Programa EYESEE) referente a fenómenos de neovascularização ocular, associados a retinopatias ligadas a diabetes e a degenerescência macular consequente do envelhecimento, que são mecanismos associados a perdas severas de visão nos chamados “países desenvolvidos”.
A terapia corrente pode atrasar a doença mas não restaurar a visão.
O objetivo do programa EYESEE é de desenvolver técnicas terapêuticas inovadoras que permitam remediar a neovascularização ocular.

DO MUNDO DA ACÚSTICA

Muitas são as fontes de ruídos que afligem o quotidiano das cidades neste começo de século e, entre eles, o que tem origem em tráfego ocupa lugar cimeiro, daí o interesse em tudo o que possa significar alterações nesta área, alterações obviamente dirigidas para a preservação ou melhoria da qualidade ambiental. É neste âmbito que se integra o estudo LOGÍSTICA 2050, o terceiro projeto de pesquisada série Delivering Tomorow, que analisa cinco visões do futuro que assentam em análise detalhada dos fatores mais críticos, incluindo comércio e hábitos de consumo, tendências tecnológicas e visuais bem como alterações climatéricas, na perspetiva de estimar as influências no transporte de pessoas e mercadorias.
A conclusão central do Estudo traduz-se na apreciação de cinco cenários credíveis do futuro, que recebem as designações seguintes:
– Economia selvagem, colapso iminente;
– Eficiência das megacidades;
– Estilos de vida personalizados;
– Protecionismo paralisante;
– Resiliência global, adaptação local.
Este tipo de abordagem, tornou possível a identificação de modo sistemático e abrangente de vários sentidos possíveis de desenvolvimento para as quatro décadas próximas, assim habilitando a promover intervenções orientadas para a preservação ou recuperação de valores entendidos como fundamentais para a vivência humana harmónica.

Tagged , , . Bookmark the permalink.

About Carla Alves

Carla Alves, Licenciada em Engenharia Civil pela Universidade da Beira Interior. Engenheira Civil Efectiva da Ordem dos Engenheiros. Faço projectos de especialidade de Engenharia Civil com freelancer e estou à procura de um emprego em Engenharia Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *