A CANTAR NO NATAL NO MUNDO DA ACUSTICA

A CANTAR NO  NATAL

O Natal aí está ! Com crise mais ou menos intensa, quase todos sentimos um aconchego intimo especial na época natalícia, que vai para além do condicionamento estabelecido, em mais ou menos força sobre todos nós pela vertente comercial … que considera o Natal como  um período chave de vendas

O secularismo, com celebrações de renas e Pais Natais para todos os gostos, tirou ao Natal o caráter de ‘mistério’,  oportunidade privilegiada para dar um salto de fé, vivendo  verdadeiramente o Natal  e sendo capaz de fazer hoje, à distância de séculos, aquilo que teria feito se estivesse presente naquele dia:  ajoelhar-se, adorar em silêncio o Menino Deus.
O Natal é comemorado anualmente em 25 de dezembro (nos países eslavos e ortodoxos cujos calendários eram baseados no calendário juliano, o Natal é comemorado no dia 7 de janeiro), adotado pela Igreja Católica no terceiro século d.C. a partir de celebração do solstício de inverno (natalis invicti Solis),  visando facilitar  a conversão dos povos pagãos sob o domínio do Império Romano, passando a comemorar o nascimento de Jesus.

As canções natalícias constituem uma tradição generalizada, em festas religiosas ou não.

A música de Natal festiva e de carácter social é um fenómeno recente que se opõe às composições de cunho celebrativo e litúrgico do mistério divino características de outros tempos. As músicas de carácter festivo, isto é, todas as que não têm um cunho litúrgico, como os Christmas Carols, surgem com pujança no século XIX. Antes disso, a música tinha como objetivo principal a celebração das atividades religiosas, evidenciando os resultados da inspiração de compositores de diversas épocas pelo mistério da Encarnação Divina , isto essencialmente no que respeita à chamada música erudita.

As canções populares natalícias são cantadas frequentemente em coro, portanto por em grupos, e muito frequentemente  foram compostas  com base em modelos  de canções antigas, nalguns casos medievais, relativas por vezes a atividades diferentes como, por exemplo, a atividade das colheitas, que foram adotadas progressivamente  ao contexto agora em referência.

E há ainda mais!
O aproveitamento comercial do ambiente natalício não descura qualquer possibilidade de induzir a comprar, consumir. E assim, em locais comerciais, de que as chamadas “grandes superfícies” são o exemplo mais marcante, aí temos “música”, escolhida e reproduzida para    “desligar o pensamento”, qual “pastilha elástica” que se possa conjugar com diversos outros fatores, em que dominam os enfeites  luminosos, tudo para conduzir à compra.

Não é, não pode ser isto o Natal!

Vivamos o Advento, com música no coração, sim, mas que nos leve a melhor olhar o outro, os outros ao nosso lado, num sentir mágico de união que o Natal pode proporcionar.

 

DO MUNDO DA ACÚSTICA 

PRINCIPAIS REUNIÕES INTERNACIONAIS

Apenas para conhecimento ou para programar participações, segue listagem das reuniões internacionais mais importantes.

AIA/DAGA 2013, EEA Euroregio/EAA Winter School – 18 a 21 de março  (Merano, Italy);

Noise Control 2013, 16th Int. Conf. on Noise Control – 26 a 29 de maio  (Ryn, Poland);

ICA 2013, 21th Int. Congress on Acoustics and 165th Meet.Acoust. Soc. America – 2 a 7 de junho  (Montreal, Canada);

ISRA 2013, Int. Symp. on Room  Acoustics – 9 a 11 de junho  (Toronto, Canada);

20th ICSV – 7 a 11 de julho  (Bangkok, Thailand);

Noise-Con 2013 – 26 a 28 de agosto  (Denver, USA);

Wind Turbine Noise 2013 – 27a 30 de agosto  (Denver, USA);

Inter-Noise 2013 – 15 a 18 de setembro  (Innsbruck, Austria);

Tecniacustica 2013 – 2 a 4 de outubro (Valladolid, Spain);

166th Meeting Acoust. Soc. America – 2 a 6 de dezembro (San Francisco, USA).

DO MUNDO DA ACÚSTICA 

ESTÚDIOS DE SONHO

Um velho sonho dos músicos já se realizou  para uma boa parcela deles. Ter em casa um estúdio de gravação, onde se possam gravar os próprios trabalhos, seja como fonte de rendimento, ou pelo menos para registrar as ideias quando elas ainda estão frescas, recém-saídas da inspiração. O antigo sonho de compositores, cantores e instrumentistas vai-se convertendo num mercado que movimenta milhões de euros/dólares por todos os continentes.

Sonhos tornados realidade são sempre boas notícias… exceto se convertidos em pesadelos aqui para os vizinhos. Assim, se estiver à beira de iniciar a instalação de uma destas instalações, não esqueça os vizinhos, o seu direito ao sossego, até porque há legislação  explicita sobre a matéria e autoridades bem preparadas para a fazer aplicar.

 

DIGA LÁ, DIGA LÁ COMO É …

 

SUSTENTABILIDADE NO CONSUMO DE ENERGIA

Crise económica, crise ambiental, crise de valores … crise, CRISE ! Basta ! Venham algumas boas notícias pois vai ser Natal.

Semanalmente, o noticiário televisivo abre uma pequena janela nas listagens de horrores que debita  e dá notícias acerca do desempenho das chamadas energias alternativas  no nosso país. À guisa de balanço, ocorre referir o seguinte, respeitando ao ano de 2011:

 

• A eletricidade de origem renovável foi responsável por 46,8 % do total do consumo elétrico em Portugal continental no ano de 2011, segundo o balanço à produção de eletricidade da Associação Portuguesa de Energias Renováveis.

• A produção de eletricidade de origem renovável  permitiu poupar 721 milhões de euros na importação de combustíveis fósseis (gás natural, carvão, e fuel nas Regiões Autónomas) e 104 milhões de euros em licenças de emissão de CO2. No total, a produção de eletricidade renovável por produtores independentes permitiu uma poupança de 825 milhões de euros, mais 195 milhões de euros do que em 2010.

• A produção de eletricidade de origem renovável evitou o equivalente à emissão de 8 milhões de toneladas de CO2, um valor que corresponde a mais de 10 por cento do valor total de emissões definido para Portugal

 

Em âmbito alargado, para além da estreiteza das nossas fronteiras, ocorre referir progressos havidos na procura de alternativa ao uso de combustíveis fósseis. De algumas hipóteses de análise, o hidrogénio situa-se em posição cimeira, na medida em que, da sua combustão, não resulta qualquer produto englobando carbono. Estudos realizados com o apoio de programas europeus de investigação mas integrando parceiros americanos (caso da Ford)  evidenciaram que o  hidrogénio pode ser utilizado em motores de combustão interna adaptados, em  futuro próximo, embora, atualmente, os  motores de hidrogénio, com base na injeção, sejam ainda de potência reduzida. Refira-se, a propósito que, sob coordenação da LABOR S.R.L. se encontra em desenvolvimento, em Itália, projeto para a produção de geradores elétricos de uso doméstico.

 

SINERGIA ENTRE  TECNOLOGIAS DE APROVEITAMENTO DE ÁGUAS RESIDUAIS E PRODUÇÃO DE BIOMASSA

 

WACOSYS é um projeto de pesquisa cooperativa  com uma duração de dois anos  cofinanciado pela Comissão Europeia com o  objetivo de desenvolver sistemas de aproveitamento de águas residuais para irrigação de culturas de rotação curta , como seja a de espécies arbóreas de crescimento rápido. Estas árvores irão atuar como “filtros” em relação  a bio poluentes da água  produzindo  grandes quantidades de biomassa, em intervalos de  tempo de durações  reduzidas, devido à fertilização permanente; a biomassa poderá  ser usada para a produção de energia renovável.

Em Espanha e na Estónia têm sido conduzidos testes utilizando  clones de salgueiros e choupos; na condução destes testes, o controlo das concentrações de produtos críticos para a preservação da qualidade ambiental constitui, obviamente, aspeto muito relevante de modo a que seja assegurado o cumprimento dos requisitos estabelecidos pela regulamentação europeia na matéria.

 

CONSULTÓRIO ACÚSTICO 

De modo a promover a interatividade entre os nossos Leitores, reservamos  uma rubrica,  na nossa Newsletter, para que possa colocar dúvidas, questões, solicitar estudos, avaliações acústicas e certificações energéticas. Poderá fazê-lo clicando  nesta imagem.

 

Tagged , , , . Bookmark the permalink.

About Carla Alves

Carla Alves, Licenciada em Engenharia Civil pela Universidade da Beira Interior. Engenheira Civil Efectiva da Ordem dos Engenheiros. Faço projectos de especialidade de Engenharia Civil com freelancer e estou à procura de um emprego em Engenharia Civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *